Quinta-feira, 14 de Abril de 2011

Etimologia de Boim

 

“Gui é palavra celtica. Significa - agarico, planta parasita. O agarico colhido nos carvalhos, era para os Celtas e galhos - celtas, uma planta sagrada. Vem pois ser o nome primitivo d’esta freguesia - povo - ação de agarico.”[1] 

_________________________

[1] Leal, Pinho; Portugal - Antigo e Moderno.

Situação

         A cerca de 2 Km da Sede do concelho, na direcção sul - sudoeste, encontra-se a freguesia de Boim. É freguesia da província do Douro, comarca e concelho de Lousada; 35 Km ao N. E. do Porto e 335 ao Norte de Lisboa. Tem 813 hectares de terra, sendo uma pequena parte pertencente à zona urbana da Vila. A norte da freguesia passa o rio Sousa.

Orago

O seu orago é S. Vicente; mártir. A Boim, referem-se-lhes as Inquisições de 1258 denominando-a S. Vicente de Boim, derivando o nome do orago que é venerado a 22 de Janeiro, na sua igreja de fundação pré - nacional e que pertenceu ao Mosteiro de St.º Tirso e aos filhos e netos de D. Guiomar Mendes, filha do Conde D. Mendo. Segundo o Censual do Cabido Portuense, dos princípios do séc. XIV, cita-a no arcediago de Meinedo.

S. Vicente é o seu orago, mas é a S. Jorge que os habitantes de Boim rendem as suas homenagens, tendo por este Santo uma ilimitada devoção.  

Situação administrativa

Era antigamente da extensa comarca de Barcelos. Desde de 9 de Julho de 1927 e por decreto n.º 13:917 o concelho de Louzada pertencia à comarca de Penafiel. Pertenceu à casa de Bragança, e tinha todos os privilégios dos seus caseiros. Os frades bentos do Convento de St.º Tirso de Riba d’Ave, apresentavam aqui o cura que tinha de renda 200$000 réis. Boim pertence ao bispado do Porto.

Lugares

É composta pelos seguintes lugares: Arcas, Ameixieira, Assento, Barroca, Bica, Campos, Carcavelos, Cima de Vila, Igreja, Eiras, Corgas, Corgo, Costa Nova, Costa Velha, Engenho, Ermeiro, Fonte, Gerovila, Guim, Laje, Lameiro, Marrelém, Monte, Outeirinho, Outeiro, Peitugueiro, Penedo, Poupa, Presa, Real, Reguengo, Residência, Sedoira, Tapadas, Tapado, Tunim, Varanda e Vila Chã. Tem as quintas de Campos e de Sá.

Habitantes

Em 1706 tem 58 fogos, já em 1868 tinha 100 fogos.      Em 1862 albergava 282 habitantes distribuídos por 87 fogos. E dois anos volvidos (1864), mantinha o mesmo número de fogos, mas o número de habitantes tinha aumentado para 350. Em 1890 comportava 92 fogos e 392 habitantes e em 1900 tinha menos três fogos e 346 pessoas. Em 1909 tinha 100 fogos, segundo Pinho Leal. No ano de 1911 há em Boim 95 fogos e 401 habitantes. E em 1951contava com 686 fregueses. Em 1997 comporta 2900 residentes.

 

 

Igreja

É de fundação pré - nacional, actualmente é uma igreja pequena, com um altar em cada um dos extremos dos corpos da igreja que perpendicularmente se conjugam se num só Templo de antiguidade considerável.

Capela de S. Jorge

Possui uma única capela pública. A Ermida de S. Jorge que coroa o pitoresco e aprazível monte, que recebeu o nome, onde em cada terceiro Domingo do mês de Abril se realiza e se festeja pomposamente uma romaria que é muito concorrida. S. Jorge é o Santo protector do gado, havendo pois a benção dos animais, principalmente bovinos. Estes enfeitados a preceito, dão umas voltas à capela. Este ritual está a cair no esquecimento.

A capela de S. Jorge foi restaurada e ampliada nos anos 1991/92, sendo-lhe acoplado um aumento em betão e num estilo bem modernista que “choca” pelo evidente contraste, mas que a freguesia aceitou sem dificuldades.

Solares

A povoação de Boim não tem grandes casas brasonadas. Tem contudo, dois solares - A Casa da Fonte e a Casa de Boim. No primeiro nasceu e viveu aquele que foi bispo do Porto - D. António Augusto Castro Meireles.

Figuras Ilustres 

“De entre os homens de igreja devemos salientar Dr. António Augusto de Castro Meireles, formado em Teologia e Direito, que foi Bispo de Angra de Heroísmo e do Porto. Orador Sagrado brilhante, dedicou a sua vida à Igreja e ao seu ministério.”[2] 

Miradouro

Boim, visto do alto de S. Jorge, denota aos olhos (de quem ali sobe) uma paisagem verdejante que transborda para as freguesias de Meinedo, Pias, Silvares, Cristelos, Nespereira, Lodares e Bustelo (concelho de Penafiel), que a circundam e lhe dão continuidade, até ao horizonte, de vitalidade e lavor campestre.

 

SILVA, José Carlos, As Capelas Públicas de Lousada, Universidade Portucalense, 1997

 

 

 

 

 

 

 


 

[2] Lousada, A Vila e o Concelho, Ed. Câmara Municipal de Lousada, p. 48 e 49.



publicado por José Carlos Silva às 18:36 | link do post | comentar

mais sobre mim
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31



contador visitas en mi web
posts recentes

A festa em honra de Sant’...

Lousada Antiga

As capelas

Padre Joaquim António de ...

Feliz de Mendonça Baldaia...

Dote de casamento do Dr. ...

Casa D' Além-Romariz (Mei...

Casa D’ Além ou de Romari...

A coisa que mais me dói, ...

Doutor Joaquim Augusto da...

arquivos

Agosto 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

tags

1910

a igreja de são vicente de boim

a igreja _alvarenga

a paróquia de boim: breve enquadramento

adcl_lodares_lousada

adeus

alferes

almotacé

alvarenga

alvarenga_lousada

anthero pacheco da silva moreira

antónio

anúncio

aparecida

artesanato

artigos

aveleda

bibliografia

boa noite

boim

boim_lousada

caíde

caíde_lousada

calvário

caminho _de_ ferro_ de_ penafiel _á_ lix

caminho_de_ferro

capela

capela da fonte - boim

capelas

capelas_ públicas_lousada

capelas_de_lousada

capitão

capitão_mor

cargos e profissões dos proprietários de

carta

casa

casa da bouça (nogueira)

casa da lama

casa da quintã

casa de monte sines

casa de sequeiros

casa de sequeiros - lodares

casa _ vilar_lodares_lousada

casamento - joaquim da silva netto com d

casa_da_lama_lodares_lousada

casa_de_real_ficha

casa_do_vilar

casa_vila _verde

collegio_de_bairros

concelho

couto

covas

cristelos

crónicas

cruzeios_lousada

cruzeiros

cruzeiros_lousada

da

de

despedidas

desporto

do

donativo

eleição

eleição_ abdicação

em 1907.

enlace

escola

festa

figueiras

i congresso internacional da rota do rom

igreja paroquial de cristelos / igreja d

igreja paroquial de figueiras / igreja d

igreja: stº estevão de barrosas

iii jornadas de história local

lodares

lodares_lousada

lousada

meinedo

memória

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nossa

padre

paisagem_edificada_lousada

política

ponte _de_ vilela

ponte_espindo

porto

quaresma

reverendo

romaria

rota_românico

senhora

títulos

universidade de coimbra

todas as tags

links
subscrever feeds