Quinta-feira, 6 de Outubro de 2011

 

 

- Descrição da imagem 1 (esquerda):

Este padrão é formado por dois blocos de granito e a sua manufactura, executada por escultor ou canteiro, desconhecidos, grandes artistas em trabalhar a pedra, pode situar-se entre 1816 e 1826.
No corpo maior, figura o escudo português, em tudo semelhante ao escudo da bandeira nacional dos nossos dias.
No corpo cimeiro, actualmente em estado visivelmente vandalizado, outrora essa pedra configurava uma coroa real, semelhante à imagem ao lado anexada, (desenho colorido).
A sua localização, é o Adro da Igreja de Meinedo, junto da residência paroquial, sobre um muro que separa o adro dos terrenos anexos à referida residência. Isto há mais de 60 anos, tendo em conta a minha vivência.
Numa apreciação pessoal, afirmo que este padrão, nos anos 50, século XX, estava intacto. O dito corpo cimeiro, era inteiriço, constituído pela base, fragmento que se vê actualmente,na imagem, que então suspendia um avançado, para a frente, na horizontal, sobre o escudo, com interior arredondado, oco e na parte superior, a cúpula, (côncava), era apenas constituída por travessões cruzados, tipo raios, ligados ao centro, por um imaginário eixo, sobre o qual figurava uma pequena cruz, formando todo o conjunto, uma coroa de reis.
Aquela cruz, em tal coroa, só por si, é um sinal de cristandade. Daí, talvez, a razão para se encontrar o referido padrão, no adro da igreja de Meinedo.
Como tal padrão se encontrava a pouca altura do chão, era frequente ver então a criançada em diversão e, para grande gáudio de todos, cada um introduzia, à vez, a sua cabeça no interior de tal coroa, como que a fantasiar uma coroação, enquadrada no imaginário infantil. Eu fui uma dessas crianças.

- Descrição da imagem 2 (direita):

Numa tentativa para avaliar a antiguidade deste simbólico padrão, recorri ao wikipedia e, comparando ambas as imagens e outras, constatei que o “ícone” que mais se assemelha, constituído por escudo com esfera armilar e coroa é o está acima representado, cuja origem remonta ao ano de 1816.
A esfera armilar, associada a um escudo, integrando uma coroa (tempo de reis), aparece pela primeira vez em 1816 e vigora até 1826. Mais tarde, só em 1910, com a Implantação da República em Portugal, volta a esfera armilar ao escudo nacional mas, logicamente, sem a referida coroa.

Nota do autor: - A imagem (2) colorida da direita e os dizeres que estão no rectângulo, por baixo desta, foram extraídos do site wikipedia, onde existem muitas mais, alusivas a todos tempos.

 

Blog Meinedo, Fernando Pereira


tags:

publicado por José Carlos Silva às 18:11 | link do post | comentar

mais sobre mim
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31



contador visitas en mi web
posts recentes

A festa em honra de Sant’...

Lousada Antiga

As capelas

Padre Joaquim António de ...

Feliz de Mendonça Baldaia...

Dote de casamento do Dr. ...

Casa D' Além-Romariz (Mei...

Casa D’ Além ou de Romari...

A coisa que mais me dói, ...

Doutor Joaquim Augusto da...

arquivos

Agosto 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

tags

1910

a igreja de são vicente de boim

a igreja _alvarenga

a paróquia de boim: breve enquadramento

adcl_lodares_lousada

adeus

alferes

almotacé

alvarenga

alvarenga_lousada

anthero pacheco da silva moreira

antónio

anúncio

aparecida

artesanato

artigos

aveleda

bibliografia

boa noite

boim

boim_lousada

caíde

caíde_lousada

calvário

caminho _de_ ferro_ de_ penafiel _á_ lix

caminho_de_ferro

capela

capela da fonte - boim

capelas

capelas_ públicas_lousada

capelas_de_lousada

capitão

capitão_mor

cargos e profissões dos proprietários de

carta

casa

casa da bouça (nogueira)

casa da lama

casa da quintã

casa de monte sines

casa de sequeiros

casa de sequeiros - lodares

casa _ vilar_lodares_lousada

casamento - joaquim da silva netto com d

casa_da_lama_lodares_lousada

casa_de_real_ficha

casa_do_vilar

casa_vila _verde

collegio_de_bairros

concelho

couto

covas

cristelos

crónicas

cruzeios_lousada

cruzeiros

cruzeiros_lousada

da

de

despedidas

desporto

do

donativo

eleição

eleição_ abdicação

em 1907.

enlace

escola

festa

figueiras

i congresso internacional da rota do rom

igreja paroquial de cristelos / igreja d

igreja paroquial de figueiras / igreja d

igreja: stº estevão de barrosas

iii jornadas de história local

lodares

lodares_lousada

lousada

meinedo

memória

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nossa

padre

paisagem_edificada_lousada

política

ponte _de_ vilela

ponte_espindo

porto

quaresma

reverendo

romaria

rota_românico

senhora

títulos

universidade de coimbra

todas as tags

links
subscrever feeds