Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

Cernadelo

1758, Maio, 22

I. A. N. T. T. Diccionario Geográfico. 1758, Vol. 10. fl.1875 a 1880.

 

Para dar principio á satisfação da ordem que tenho do muy senhor doutor provizor da corte e cidade de Braga sahi desta caza da residencia, que está junto a igreja e logo em distancia de trinta passos esta hum altinho donde se descobre terra larga e ali fiz meus entendimentos como devia principio a esta obra, e seu saber o que faria, botei os olhos ao ceo, vi altura, que não pude compreender; botei os olhos ao chão, não vi palmo de terra; porque me vi em hum labirinto sem ver por onde ia.

1.º - Somente vi que estava na província de entre Douro, e Minho, Arcebispado de Braga, comarca de Barcellos, freguezia de Sam Thiago de Cernedello, terra e jurisdição da real caza digo da serenissa riall caza do estado de Bragança. Concelho de Louzada.

2.º - Tem esta freguezia oitenta e oito fogos, cazados carenta e hum, vizinhos vinte e um, solteiros vinte e seis absentes trinta e ceis, pessoas de salvamento cento e noventa e nove, menores trinta e oito.

3.º - Está esta freyguezia situada em hum valle de hum monte chamado monte de santo Jebres, corrupto vocabulo, porque antigamente dizerem estivera huma cappella de santo Euzebio no alto do dito monte; e assim os discretos, lhe chamao o monte de Santo Euzebio. Vem esta freyguezia cahindo do monte para a parte do Sul, daqui se descobre olhando para entre Sul-poente a Villa da Rifana de Souza, e o convento de Bostello dos frades Bentos, que fica na mesma direytura olhando para a Rifana; daqui para a Rifana fazem legoa e meya, e ao ditto convento huma legoa

E olhando para entre poente, e norte se está vendo o monte do Calbello em pouca distancia menos de coatro de legoa, porque daqui athe lá he tudo Ribeyra. Tem este monte da cappella do Bom Jesus caminhando para a Rifana de Souza que he para Sul huma legoa de comprido. Daqui se descobre tambem o monte de Pombeyro, envolta della a cappella de Santa Quiteria, e dali para quá principião huns ribeyrinhos agoeiros donde se vay compondo e principiando o rio Souza.

5.º - A freiguezia he termo de Louzada e tem algumas cazas que são do termo de Unhão ou concelho.

6.º - Os lugares desta freiguezia são: primeiro – Palhais – tem tres vezinhos, segundo – Ribeiro – tem ceis vezinhos, terceiro a Caza de Sima – somente coarto o lugar da Carreira tem onze vezinhos. Quinto a Caza de Subribas somente, Sexto o lugar das Agras – huma caza Somente. Setimo - lugar da Bouca Negra – huma caza Somente, Oitavo - lugar do Moinho Novo hma caza somente. Nono lugar da Sarria ceis vezinhos, decimo lugar das Carvalheiras huma caza somente. Undecimo lugar de Tresballo – tem dous vezinhos, duodecimo lugar de Sima de villa – tem oito vezinhos. Decimo tertio lugar de Barroco – tem dous vezinhos, decimo quarto lugar de Regadas tem ceis vezinhos. Decimo quinto, o lugar do Paço, huma Caza somente, decimo sexto, o lugar de Figueiredo, tem tres vezinhos. Decimo septimo o lugar do barreiro tem huma caza somente. Decimo oitavo o lugar do tujal tem ceis vezinhos. Decimo nono, o lugar do Cazal – tem hua caza somente. Vigezimo, o lugar do outeiro tem hua caza somente. Vigezimo e hum lugar do monte, tem tres vezinhos. Vinte e dous o lugar de Sam Pedro tem dous vezinhos. Ceposto que os fogos sejão mais. He porque há muitas mulheres solteiras, que estão em huma caza Com repartimento no meyo, e fogueando á parte. A parochia desta freiguezia está sita no lugar chamado da igreja tem dous vezinhos e a caza da residencia tres.

7.º - Orágo desta freiguezia he Sam Thiago tem tres altares. O mor he de S. Thiago os dous de bayxo são hum de Nossa Senhora, e outro do Menino Deus, não tem naves, nem irmandades, he pequena.

8.º - O Parocho nesta freiguezia he vigario ad nutum aprezentacão do Reytor de Santa Maria de Albarenga. Tem de Renda que paga o rendeiro ao vigario dez mil reis tres libras de cera, dous alqueires de trigo, e sete centos e sincoenta e trinta alqueires de pão meado, e vinte e dous almudes de vinho. As obradas que pagão os freiguezes fazem sincoenta medidas, e hum campinho que he da residencia colheu o São Miguel passado quinze alqueires de pão, e de vinho quinze almudes. O qual pão todo vendido ao preço de doze vinteis fás a soma de vinte e coatro mil reis, ajuntando o dinheiro que paga o rendeiro cera, e trigo são quarenta mil reis o certo, os incertos são muito lemitados porque a freiguezia he pequena, e muita pubreza, e finalmente della não pode viver hum parocho comforme pede a sua decência

9.º, 10.º, 11.º, 12.º – Nada

13.º - Tem esta freiguezia dentro dos seus lemites huma cappella de Sam Sebastião sahindo do lugar da Carreira na estrada que vay do Porto para Chaves, Basto, Miranda e Bragança que dizem pertence o ornalla á Camera deste Concelho, do que necessita muyto, por dizerem a mandára fazer el rei Dom Sebastião.

14.º - Nada

15.          º - Os frutos desta terra he milhão, milho, painço e senteyo e em mayor abundancia he milhão e vinho verde bastante

16.          º - Tem juis ordinario, tres vereadores de que vão apellar ao Ouvidor de Barcellos, e este devela da justiça desta terra, e esta a elle esta sugeja

17.          º - Hé termo, ou concelho de Louzada.

18.º - Desta freiguezia não há memoria que sahisse homem grande darmas porem deste concelho agora de prezente o Bispo que está na cidade de Mariana.

19.º - Esta freiguezia não tem feira, mas sim no dia vinte e sinco de cada mês há huma feira no lugar do Torrão, que he a cabeça do concelho cativa de siza e portage.

20.º - Não há correio; mas daqui nos servimos do correio da Rifana de Souza, que daqui lá he legoa e meia, vay para duas legoas, e tambem por esta freiguezia passa o correio para Basto, que vem da Cidade do Porto.

21.º - Desta freiguezia á cidade de Braga são ceis legoas, e daqui a Lisboa são sincoenta e coatro digo sincoenta e nove.

22.º - Tem este concelho de Louzada os previlegios de não vir a elle soldados dar verde aos caballos, nem nelle ha egoas de listra, e dizem que ha muitos que eu não sei por não ser desta terra.

23.º - Nada.

24.º – Nada.

25.º – Nada.

Somente daqui se descobre huma torre que chamão a torre de Villar distancia menos de coatro de legoa que he no concelho de Unhão a qual dizem ficou do tempo dos Mouros.

26.º - Nam me consta padecesse ruina no terramoto de 1755 nem em outro algum e não tenho mais que dizer.

No que toca a serra não tenho aqui que dizer.

 

No que toqua ao rio:

1.º - Primeiramente por meio desta freiguezia passa o Rio Souza principia de ribeirinhos limitados, e agueiros pequenos do monte de Santa Quiteria de Pombeiro que dista daqui huma legoa, tambem se principia da Lixa, e do convento de Cramos que são frades Cruzios, por ali se vem ajuntando de sorte que na freiguezia de S. Pedro Fins do torno se ajuntão aquelles ribeiros e fazem ali o rio Souza o qual de inverno leva muito bem agoa; porem de bram, mal pode moer dous moinhos.

2.º - He rio quieto e sosegado e corre do modo que já dice.

3.º - Tambem se ajunta a elle na devizão desta freiguezia, e de Macieyra hum regatto que vem da freiguezia de Samarim que tudo Sahe da Serra do Calbello, este de brão as vezes não Corre, nem para hum moinho moer tambem Seajunta da freiguezia de Albarenga.

 

4.º - Nada.

5.º - O seu curso he muito quietto por esta freiguezia, e per si o conheço que sempre he distancia de huma legoa somente tem algumas levadas para moer moinhos.

6.º - Corre este rio de Nacente a Poente.

7.º - Cria este rio muitos peyxes, truitas, barbos, escallos, e bogas, porem em mais quantidade saõ bogas.

8.º - Neste rio se pesca em todo o anno.

9.º - As pescarias nelles que são de chumbeira meijoeira todas são libres athe onde eu sei.

10.º - Pella mayor parte vay este rio sempre por entre terras  que se cultivão, e tudo obeiras de vinho ao redor.

11.º - Nada que eu saiba.

12.º - Este rio athe onde eu conheço sempre tem o mesmo nome nem tenho noticia que tivesse outro nome.

13.º - Este rio vay morrer ao rio Tamega e dizem se ajunta com elle Entre ambos os Rios, e ao depois dizem se ajuntam com o Douro antes de chegar ao Porto cidade e a depois me diceraõ que já ali vinha do Douro e o rio Tamega juntos.

14.º - Como não he navegavel não tenho que dizer.

15.º - Tem este rio nesta mesma freiguezia huma ponte que passaõ carros por ella, porem não he de cantaria mas sim são humas pedras compridas postas toscamente; tem asima desta freiguezia aonde chamaõ a ponte da beiga huma ponte de cantaria que he na freiguezia de Sam fins, tem mais hua de taboas e traves na freiguezia de Alentem, e tem outra de cantaria na freiguezia de Abelleda são as que eu sei.

16.º - Tem na minha freiguezia moinhos, na de Sam Cristovão hum digo dous lagares de azeite e mais moinhos pello distrito que sei e não sei que tenha outro engenho algum só sim na freiguezia de abelleda tem alguas zenhas, digo não tem zenhas que eu sayba.

 

17º - Não consta que desse ouro em algum tempo.

18.º - O uzo delle que eu sayba he libre para a cultura dos campos.  

19.º - Este rio dizem que do principio athe se meter no Douro havera distancia de sinco legoas. As povoações por onde passa não são villa, nem cidade, mas sim são ribeiros, e campos cultivados.

20.º - Não há couzas notaveis deque dê conta.

E deste modo tenho dado satisfação aos interrogatorios da ordem que vâo incluzos, e tudo vay na verdade conforme o que sinto, e sei, e me informaraõ e me asignei com o Reverendo vigario JoãoTeixeira Ozorio vigario de São Mamede de Alentem, e com o Reverendo vigario Gualter da Costa vigario de Sam Miguel de Louzada por serem meus vezinhos hoje em Sam Thiago de Cernedello aos vinte e dous de Mayo de mil e sette centos, e sincoenta e oito annos. O vigario Crispim Alvaro da Sylva, o vigario João Teixeira Ozorio e o vigario Gualter da Costa.

 

 

 SILVA, José Carlos Ribeiro da - A Casa Nobre no Concelho de Lousada



publicado por José Carlos Silva às 18:17 | link do post | comentar

mais sobre mim
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31



contador visitas en mi web
posts recentes

A festa em honra de Sant’...

Lousada Antiga

As capelas

Padre Joaquim António de ...

Feliz de Mendonça Baldaia...

Dote de casamento do Dr. ...

Casa D' Além-Romariz (Mei...

Casa D’ Além ou de Romari...

A coisa que mais me dói, ...

Doutor Joaquim Augusto da...

arquivos

Agosto 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

tags

1910

a igreja de são vicente de boim

a igreja _alvarenga

a paróquia de boim: breve enquadramento

adcl_lodares_lousada

adeus

alferes

almotacé

alvarenga

alvarenga_lousada

anthero pacheco da silva moreira

antónio

anúncio

aparecida

artesanato

artigos

aveleda

bibliografia

boa noite

boim

boim_lousada

caíde

caíde_lousada

calvário

caminho _de_ ferro_ de_ penafiel _á_ lix

caminho_de_ferro

capela

capela da fonte - boim

capelas

capelas_ públicas_lousada

capelas_de_lousada

capitão

capitão_mor

cargos e profissões dos proprietários de

carta

casa

casa da bouça (nogueira)

casa da lama

casa da quintã

casa de monte sines

casa de sequeiros

casa de sequeiros - lodares

casa _ vilar_lodares_lousada

casamento - joaquim da silva netto com d

casa_da_lama_lodares_lousada

casa_de_real_ficha

casa_do_vilar

casa_vila _verde

collegio_de_bairros

concelho

couto

covas

cristelos

crónicas

cruzeios_lousada

cruzeiros

cruzeiros_lousada

da

de

despedidas

desporto

do

donativo

eleição

eleição_ abdicação

em 1907.

enlace

escola

festa

figueiras

i congresso internacional da rota do rom

igreja paroquial de cristelos / igreja d

igreja paroquial de figueiras / igreja d

igreja: stº estevão de barrosas

iii jornadas de história local

lodares

lodares_lousada

lousada

meinedo

memória

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nossa

padre

paisagem_edificada_lousada

política

ponte _de_ vilela

ponte_espindo

porto

quaresma

reverendo

romaria

rota_românico

senhora

títulos

universidade de coimbra

todas as tags

links
subscrever feeds