Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

Vila, sede de concelho rural de 2ª ordem, pertencente à diocese e distrito do Porto. Antes da década de 80 era um concelho da 3ª ordem, fiscal de 3ª classe, julgado municipal da comarca de Penafiel, diocese e distrito do Porto que tem a sua sede na freguesia de S, Miguel de Silvares.

         Em 1951, Lousada era um concelho de 2ª ordem e fiscal de 3ª classe, comarca de Felgueiras, distrito e bispado do Porto.

         Em 1909 era “villa da província do Douro, séde de concelho e de comarca, distrito, relação e bispado do Porto. A freguezia é de S.Miguel de Silvares e Cristelos. Pertence à 6ª divisão militar, 11ª brigada, grande circunscripção militar do norte, e ao distrito de recrutamento e reserva nº 20, com séde em Amarante. Em 1757 Lousada (o concelho) tinha 2700 fogos”.3 E tinha em 1758, 18 freguesias e S. Miguel de Silvares era a cabeça do concelho, é que no lugar do Torrão estava a casa do Auditório onde se faziam as audiências duas vezes por semana.

         Já em 1854, Lousada era sede da comarca, reunindo o território dos concelhos de Lousada, Felgueiras e Barrosas, dignidade obtida em 1840 à custa da extinção do concelho de Barrosas.

         No século XVI, Lousada - concelho e terra - era vista desta forma: “Este concelho e terra de Loussada he do Conde do Vymyoso nom tem vylla nem castelo nem povoação junta nhua jaz antre o concelho de Unham e o termo do Porto e tem de termo de larguo e de comprido legoa e quarte...”.4

         A terra de Lousada era de área inferior à que o actual concelho hoje ocupa. No início da Segunda metade do século XIV o julgado de Lousada pertencia à coroa, que ali tinha duas justiças.

         Todas as paróquias que fazem parte do concelho de Lousada pertencem eclesiasticamente à diocese do Porto. Mas nem sempre assim foi: durante um milénio 16 delas fizeram parte do Arcebispado de Braga. Só a 4 de Setembro de 1882 foram restituídas à diocese do Porto.

         O concelho tem uma área de 97,84 Km.2, distribuídos por 26 freguesias: Alvarenga, Aveleda, Barrosas (St.ª Eulália e Stº Estevão), Boim, Caíde de Rei, Casais, Cernadelo, Covas, Cristelos, Figueiras, Lodares, Lousada (St.ª Margarida, S. Miguel), Lustosa, Macieira, Meinedo, Nespereira, Nevogilde, Nogueira, Ordem, Pias, Silvares, Sousela, Torno, Vilar e Alentém e Vilar do Torno.

         Em 1948 tinha 22.193 habitantes em 5110 fogos, dos quais 1336 habitantes em 283 fogos, correspondem à freguesia da sede do concelho. Dista 38Km. do Porto. Pelos censos de 1981 tinha 37.900 hab. Em 1989 tinha 40.000hab. Em 1931 tinha 21.096hab.

         Na transição do litoral para o interior e no centro do vale de Sousa, vamos encontrar o concelho de Lousada. Sem fronteiras definidas por acidentes geográficos dignos de nota,... confina a norte com os concelhos de Felgueiras e Guimarães, a sul com Paredes e Penafiel, a nascente com Amarante e a poente com Paços de Ferreira. Tem 200Km.2 de superfície. É de facto e de direito, o coração do vale de Sousa por se encontrar situada no seu centro geográfico.

         “O concelho corresponde, na sua quase totalidade, a uma circunscrição administrativa medieva situada na bacia do Sousa superior. Na passagem do século XI para o séc. XII menciona-se aqui uma série de acontecimentos e factos que lhe autorgam uma notável celebridade já antes da própria Fundação da Nacionalidade, com particular incidência para Meinedo, primitiva sede do bispado do Porto. Algumas das suas freguesias passavam a pertencer-lhe em virtude das reformas administrativas de 1834 e 1885, como no caso de Vilar do Torno, Alentém e Caíde de Rei, que andaram distribuídas pelos extintos concelhos de Unhão e Santa Cruz de Riba Tâmega antes de lhe serem incorporadas”.5

         Há em todo o Douro Litoral sinais evidentes de primitivos núcleos de fixação do Homem pré histórico e outros, que estão inclusivamente na origem da Fundação de Portugal ( Castro de S. Domingos  - Cristelos).

         Partes da história de Portugal podem ler-se nos túmulos de guerreiros (Casais - Meinedo) e nos vários monumentos dispersos pelo concelho tais como o cruzeiro do séc. XVII (Pias), rico em solares e casas apalaçadas (Alentém, Cimo de Vila, Lama, Vila Verde, etc.); Várias igrejas românicas e do séc. XIII (Meinedo, Aveleda), as pontes românicas de Vilela, Espindoe da Veiga.

         É um concelho de fortes raízes culturais e históricas, bem implantadas.

         Lousada é também um concelho com enorme riqueza cultural e etnográfica que atinge na cultura a sua máxima expressão. Resultado de múltiplas e facetadas influências que aqui se cruzaram e de um profundo enraizamento na paisagem, na terra e também no ameno clima.

         “Aqui um solar seiscentista, prepialho à fiada em junta sêca, severo e modesto como eram os de então, além, construções apalaçadas em baraque  do granito enfumado e grandioso, depois, casas boas de gente abastada, com aladas variadas de diferentes épocas, ostentando a típica cozinha, tão regional, tão Lousadense, toda em pedra bem ameada como torre para defesa contra incêndios; mais adiante, o casão vitoriano, rico em varandas ou janelas sob clássico frontão e ao lado a inseparável capela,..., topam-se ainda muitos portões de brasão e pedras - meias, tudo intercalado de colmo ou telha vã...”.6 E a beleza de algumas casas é tal e estão tão bem enquadradas na paisagem que deixam praticamente de poder ser propriedade particular, de tal forma atraem quem as conheça. Lousada é terra linda e de beleza sem igual.

         Por ser uma região agrícola fértil, é “cobiçada” pela ânsia de Autarcas e empresários no redimensionamento organizado dos vectores da Indústria e Comércio.

         Sede da Associação de Municípios de Vale de Sousa está “envelhecido” em relação a outros concelhos limítrofes que têm sabido aproveitar as infra - estruturas emanadas das novas vias de comunicação, inexistentes para um fácil e rápido acesso.

         Tem a nível nacional e Europeu, a população mais jovem e é o segundo concelho com um índice populacional mais elevado, tendo em conta o último recenseamento nacional. Tem pouco mais de 42.000 habitantes.7



3 Pinho, Leal; Portugal, Antigo e Moderno, 1909, p. 558-559.

4 Magalhães, F. Victor; O Concelho de Lousada no Numeramento de 1527, Jornal de Lousada; 4 de Setembro de 1992, p. 5.

 

 

5 Azevedo, José Correia de; Portugal Monumental, Inventário Ilustrado, p. 10; Ed Nova Gesta.

6 Lousada - Terra prendada, Ed. Anégia, Lousada, 1993 p. 9-10.

7 Censos de 1991 - I.N.E.

 

SILVA, José Carlos Ribeiro da - As Capelas Públicas de Lousada



publicado por José Carlos Silva às 17:38 | link do post | comentar

mais sobre mim
Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31



contador visitas en mi web
posts recentes

A festa em honra de Sant’...

Lousada Antiga

As capelas

Padre Joaquim António de ...

Feliz de Mendonça Baldaia...

Dote de casamento do Dr. ...

Casa D' Além-Romariz (Mei...

Casa D’ Além ou de Romari...

A coisa que mais me dói, ...

Doutor Joaquim Augusto da...

arquivos

Agosto 2015

Março 2015

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

tags

1910

a igreja de são vicente de boim

a igreja _alvarenga

a paróquia de boim: breve enquadramento

adcl_lodares_lousada

adeus

alferes

almotacé

alvarenga

alvarenga_lousada

anthero pacheco da silva moreira

antónio

anúncio

aparecida

artesanato

artigos

aveleda

bibliografia

boa noite

boim

boim_lousada

caíde

caíde_lousada

calvário

caminho _de_ ferro_ de_ penafiel _á_ lix

caminho_de_ferro

capela

capela da fonte - boim

capelas

capelas_ públicas_lousada

capelas_de_lousada

capitão

capitão_mor

cargos e profissões dos proprietários de

carta

casa

casa da bouça (nogueira)

casa da lama

casa da quintã

casa de monte sines

casa de sequeiros

casa de sequeiros - lodares

casa _ vilar_lodares_lousada

casamento - joaquim da silva netto com d

casa_da_lama_lodares_lousada

casa_de_real_ficha

casa_do_vilar

casa_vila _verde

collegio_de_bairros

concelho

couto

covas

cristelos

crónicas

cruzeios_lousada

cruzeiros

cruzeiros_lousada

da

de

despedidas

desporto

do

donativo

eleição

eleição_ abdicação

em 1907.

enlace

escola

festa

figueiras

i congresso internacional da rota do rom

igreja paroquial de cristelos / igreja d

igreja paroquial de figueiras / igreja d

igreja: stº estevão de barrosas

iii jornadas de história local

lodares

lodares_lousada

lousada

meinedo

memória

memória_paroquial

moinho

moinhos

nespereira

nevogilde

nogueira

nossa

padre

paisagem_edificada_lousada

política

ponte _de_ vilela

ponte_espindo

porto

quaresma

reverendo

romaria

rota_românico

senhora

títulos

universidade de coimbra

todas as tags

links
subscrever feeds